Seja bem-vindo ao Melissa Benoist Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Melissa Benoist, mais conhecida por interpretar a Supergirl na serie homônima. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. Esperamos que goste e volte sempre!
31.03.21

Enquanto Melissa Benoist se prepara para pendurar sua capa de Supergirl, a estrela do drama de super-heróis da CW reconheceu que a decisão de se afastar da personagem que a transformou em um ícone para milhões de garotas foi difícil.

“Foi uma decisão enorme, mas acho que enquanto falávamos sobre fomos capazes de dar um passo atrás e olhar para o todo. Todos que estão envolvidos no programa podem dizer com certeza o quanto estamos orgulhosos, o quão longe chegamos e o que conseguimos realizar em seis anos. E seis anos é um grande espetáculo”, disse a atriz ao ET. “Por mais difícil que seja dizer adeus, não poderia estar mais feliz com o que criamos.”

Supergirl começa sua temporada final de 20 episódios na terça-feira com um episódio de estréia que começa exatamente de onde a última temporada parou, com Braniac (Jesse Rath) em apuros depois de tentar, sem sucesso, parar Lex (Jon Cryer). À medida que as coisas ficam exponencialmente piores, Kara percebe que a única maneira de impedir Lex é se sacrificar. É um choque dramático para a série, mas Benoist está mais do que satisfeita em seu capítulo final como Supergirl“Eles me mostraram como a série terminará e como a jornada de Kara terminará no final da série, e eu não poderia estar mais feliz com isso”, diz ela.

Benoist discute a última temporada de Supergirl, reflete sobre seis anos como super-heroína e dá conselhos para Sasha Calle, que interpretará a versão da DCEU da personagem no próximo filme, The Flash.

ET: Você tinha seus próprios desejos e esperanças pessoais de como a história de Kara terminaria?

Eu me sinto muito sortuda por ter feito tanto com essa personagem nos últimos seis anos. Então, eu realmente não tive muitas advertências criativas ou desejos, porque sinto que muitos deles foram realizados. Mas havia uma ressalva que eu tinha de que eu estava tipo, “Vocês, por favor, não façam isso. “Apenas não faça isso e eu ficarei feliz. E eles não estão fazendo isso. Então, estou feliz. Eles me mostraram como a série terminará e como a jornada de Kara terminará no final da série, e eu não poderia estar mais feliz com isso. Acho que os fãs ficarão muito felizes com isso. Faz justiça à personagem, pelo menos a minha iteração dela em nosso programa. Então, estou muito feliz com a forma como está terminando.

Supergirl passou por alguns momentos pessoais realmente importantes para você. Qual é a sensação de estar dizendo adeus à personagem neste momento de sua vida e de sua carreira? 

Oh meu Deus, eu me sinto como uma criança naquela época. Essencialmente, eu estava. Eu tinha 25, 26 anos – e não apenas as coisas em minha carreira mudaram, mas pessoalmente minha vida mudou. Muita coisa acontece em seis anos e ficar com a mesma personagem o tempo todo é uma experiência realmente única. Às vezes eu quase sinto que fui realmente desafiada e pressionada a me tornar a pessoa que sou agora por causa das circunstâncias do programa e das gravações e como pode ser difícil às vezes. A pressão existe. Mas também a alegria é ter esse orgulho e vê-la tocar as meninas e ser o modelo que ela é como personagem e carregar isso comigo. Eu sinto que ainda estou no meio disso, e falo comigo daqui cinco anos – provavelmente serei capaz de refletir um pouco melhor sobre isso. Mas dito isso, ‘É uma loucura olhar para trás, para os últimos seis anos, e ver o quanto mudou. Acho que o resto do elenco concordaria comigo. Não quero falar por ninguém, mas parece uma grande sensação de realização, porque não é fácil fazer TV para começar, especialmente um programa de super-heróis.

Seu relacionamento com sua personagem mudou por causa de seu próprio crescimento pessoal como pessoa nestes seis anos?

É claro. Essencialmente, sinto que meio que cresci com ela. Estou na casa dos 30 anos, sou mãe e sinto que entendo minha força, não fisicamente, mas minha força como mulher muito melhor do que há seis anos. Tenho uma confiança que sinto que nunca poderia ter encontrado se não tivesse interpretado essa personagem apenas por saber o que mereço como pessoa e nos relacionamentos e isso me ensinou muito – não apenas ser a líder, mas a personagem em geral. O que ela representa e sempre lutando pelo que é certo, e liderando com seu coração e compaixão, encontrando sua família e resguardando sua preciosa vida. Todas essas coisas continuam a ressoar em minha vida pessoal e sempre farão.

Você já tentou fazer com que cada momento dentro e fora do set durasse? 

Oh, completamente. É tão fácil se envolver no meio do dia às vezes, mas direi que toda vez que terminamos um episódio, às vezes nesta temporada, muitos dos diretores que estão voltando nesta temporada estão conosco desde o início ou do início da 2ª temporada. Alguns desses diretores encerrarão um episódio e haverá tipo, “Oh meu Deus, é isso. Essa é a minha última vez.” Esses momentos são diferentes. Em geral, todos nós estamos realmente tentando estar presentes e curtir a companhia uns dos outros e realmente gostamos de criar juntos esta última temporada. A pandemia havia colocado todos naquele espaço de qualquer maneira para estarem presentes. Estou apenas grata e feliz por estar trabalhando em geral, mas porque é a última temporada, claro. Estamos todos tentando nos divertir rindo.

A série também tem sido um dos programas com maior abordagem política no Arrowverse e frequentemente faz referência a eventos atuais e o que está acontecendo hoje. Parece certo com o que acompanhamos durante o último mandato?

Sim. Na verdade, nunca pensei nisso, nunca pensei nisso dessa forma. Que esse governo passado acabou e agora vamos sair também, mas é meio que adequado. Sempre achei que nosso programa era o mais forte quando nos inclinávamos para isso. Minha temporada favorita que fizemos até agora foi a 4ª temporada, em que realmente colocamos pesado nos comentários. Nesta temporada não será diferente. Isso será inspirado por questões do mundo real – tanto o movimento Black Lives Matter e como algumas pessoas se sentiram impotentes por causa das circunstâncias em que todos nós estamos vivendo com a pandemia. Essas são questões que vamos enfrentar. Os produtores sempre fizeram um trabalho muito bom em tentar refletir isso e tentar abordar o que capacita as pessoas e o que os heróis em nosso programa podem fazer para dar o exemplo e usar sua plataforma.

Fale um pouco sobre a temporada final aqui. O primeiro episódio não perde nada, uma vez que continua exatamente de onde as coisas pararam na última temporada. Como você prepararia a temporada final?

Era para ser o nosso final de temporada no ano passado. Tínhamos algum trabalho a fazer, mas acho que os fãs definitivamente podem esperar ver problemas do mundo real e nossos heróis lidando com coisas que se relacionam com o que todos nós lidamos e temos experimentado e enfrentado no ano passado. Acho que a jornada de Kara especificamente, há muita discussão sobre o poder e o abuso dele, e os limites dele neste ano. Kara está sempre lutando contra isso como uma alienígena e uma kryptoniana com o tipo de poderes que ela tem na Terra, mas tanto nossos vilões quanto nossos heróis estarão tomando decisões porque seu poder é quase ilimitado. Então, onde eles traçam o limite, eu acho, é a pergunta que faremos este ano.

Sasha Calle foi recentemente escalada como a Supergirl do universo cinematográfico da DC. Alguma palavra de sabedoria para ela enquanto se prepara para vestir a capa? E qual você acha que é o seu legado de sua época como Kara e Supergirl?

Não tenho palavras de sabedoria porque é uma coisa muito pessoal. Tudo o que posso dizer é que mal posso esperar para ver a versão dela da personagem, e ela e eu temos conversado via DM no Instagram. Eu a procurei quando ela recebeu a notícia e descobriu que tinha conseguido o papel, o que me fez chorar, porque eu senti isso e esse papel, ela parecia perfeita para isso. Acho que permanecer fiel a si mesmo e desempenhar esse papel é a melhor coisa que você pode fazer. Não tenho dúvidas de que ela vai fazer isso. Eu sinto que isso é o que mais me orgulho, é que eu nunca comprometi o que eu realmente sentia ao interpretar esse papel e o que era importante para ela e para o que dizíamos para as garotas lá fora. O que representamos sempre esteve na minha mente em cada linha que disse e em cada passo que dei. Cada visão de calor que eu fazia, cada respiração congelada que eu soprava, sempre voltava para isso. Isso é para meninas. Eu fiz isso como a primeira série de super-heróis desde Mulher Maravilha, mas Sasha o fará como a primeira Supergirl negra.

O que você mais sentirá falta? 

Ver meus amigos do elenco e da equipe técnica. Claro que vou sentir falta do elenco. E quer saber, vou sentir falta dos trajes. Vou sentir falta de voar. Aqueles dias de tela verde. É como a magia do filme. Apenas parecia sempre legal. Eu definitivamente sentirei falta disso. 

Supergirl estreia terça-feira, 30 de março às 21h ET / PT na CW.

Fonte: ET Online

Tradução e Adaptação: Melissa Benoist Brasil

continue lendo
Layout criado e desenvolvido por Lannie.D - Hosted by Free Fansite Hosting @ 2020 - Melissa Benoist Brasil