Seja bem-vindo ao Melissa Benoist Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Melissa Benoist, mais conhecida por interpretar a Supergirl na serie homônima. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. Esperamos que goste e volte sempre!
ACESSE:

No retorno de Supergirl no meio da temporada, as amigas reconciliadas Kara (Melissa Benoist) e Lena (Katie McGrath) não compartilharam nenhum momento significativo – mas Benoist nos garante que há muito mais por vir conforme a sexta e última temporada avança.

“O relacionamento de Kara e Lena está mais forte do que nunca nesta última temporada”, disse Benoist ao EW. “Elas fazem coisas realmente emocionantes juntas este ano.”

No episódio intitulado “Welcome Back, Kara“, nossa heroína voltou à sua vida dupla como repórter na CatCo e defensora de National City enquanto tentava ignorar seu trauma persistente da Zona Fantasma. No entanto, depois de derrotar um monstro de lixo que seu pai, Zor-El (Jason Behr), acidentalmente criou, Kara finalmente se abriu para Alex (Chyler Leigh) sobre sua experiência e as duas irmãs compartilharam uma muito necessária conversa franca. Enquanto isso, Nia (Nicole Maines) parecia ter um sonho agourento sobre Nyxly (Peta Sargento), o perigoso diabinho da Quinta Dimensão que Kara conheceu na Zona Fantasma.

Abaixo, falamos com Benoist sobre o relacionamento de Kara e Lena, a ameaça que Nyxly representa e muito mais.

 

ENTERTAINMENT WEEKLY: Depois de se abrir com Alex no final do episódio, a experiência de Kara na Zona Fantasma continua a pairar sobre ela na segunda parte?

MELISSA BENOIST: Com certeza, sim. E eu acho que isso é uma prova de como nossa sala de escritores é ótima. Trazer a Zona Fantasma como um ponto da história, eu pensei, era muito forte porque remontava às origens de Kara de estar presa lá por tanto tempo enquanto criança, então é claro que isso carrega esse peso de quase trauma para ela. Revisitá-lo, independentemente de se reconectar com seu pai, foi bastante chocante. Pelo resto da temporada, sim, definitivamente voltará para assombrá-la.

O que você acha que Kara tirou de passar um tempo com o pai antes de ele partir para Argo?

Sempre que trouxemos de volta outros kryptonianos que antes acreditávamos estar mortos [risos], isso sempre fortalece sua identidade como kryptoniana. Nesta temporada, a jornada de Kara é realmente [sobre] encontrar sua identidade. Ela é totalmente kryptoniana? Ela é humana? Como ela concilia isso com seus poderes? Para o propósito desta temporada, se reconectar com seu pai também provoca certa confusão, porque ela está tentando descobrir quem ela é e entrar em contato com sua identidade. Ter outro kryptoniano desestabiliza isso.

Seu pai também introduz essa ideia de usar seus poderes e conhecimentos para tratar diretamente de questões, como tentar resolver a crise ecológica neste episódio. Essa tendência continua avançando?

Com certeza. Sempre acreditei que nossa série era mais forte quando fazíamos isso. Acho que nosso arco de história na 4ª temporada estava realmente lidando com histórias de imigração, e eu estava muito orgulhosa do que fizemos então. Nós enfrentamos muitos desses problemas de uma forma mais subversiva nesta temporada, mas é muita exploração de poder e o que isso significa, como você o exerce bem, como você o exerce pelos motivos errados e o que acontece quando você faz em ambos os lados dos heróis e vilões. Estou muito orgulhosa da maneira como exploramos isso este ano.

O episódio 12 explora a desigualdade racial. Como foi trabalhar naquele episódio, que foi dirigido por David Ramsey e co-escrito por Azie Tesfai ?

Estou muito orgulhosa de todos que estiveram envolvidos em colocar este episódio no ar. Estou tão orgulhosa de Azie por quebrar os limites que ela fez. A história que ela está contando neste episódio é importante e oportuna, e eu sei que foi muito pessoal para ela. Estou muito grata por ter feito parte disso. Também com David Ramsey vindo para dirigir, ele é fantástico. Eu sei que ele tem estado circulando em todas as séries do Arrowverse , e ele é um mestre nisso. Estou muito feliz por ele também. Eu também acho que é realmente interessante,  poderoso e comovente abordar questões como Black Lives Matter dentro do gênero de super-heróis, e espero que isso ressoe com as pessoas.

Fiquei surpreso por não termos muito de Kara e Lena neste episódio. O que você pode dizer sobre para onde vai a amizade delas?

Acho que a relação de Kara e Lena está mais forte do que nunca nesta última temporada. Tudo o que elas passaram na 5ª temporada, eu não diria que são águas passadas, mas acho que isso fortaleceu sua amizade e sua irmandade, e sua aliança. Eu acho que é uma relação exemplar maravilhosa no programa de como as mulheres podem se unir nesta temporada, e como as mulheres podem discordar, mas então encontram um terreno comum que realmente resolve os problemas de maneiras geniais, especialmente quando você tem uma Luthor, o nome carrega esse peso, e Supergirl. Essas duas mulheres juntas – a força, os músculos e a esperança da Supergirl, e o brilho e a engenhosidade de Lena Luthor – elas fazem coisas realmente emocionantes juntas este ano.

Sabemos que Nyxly escapou da Zona Fantasma. Em sua mente, o que a torna uma inimiga tão atraente e perigosa?

Quer dizer, ela é a maior adversária que a Supergirl já enfrentou. O que eu acho que é tão convincente em sua história é que ela realmente espelha a de Kara. Kara foi mandada embora, mas Nyxly foi evitada por seu pai e família e mandada embora de uma forma semelhante como Kara foi para a Zona Fantasma. Embora Kara tenha sido enviada por amor e seus pais estavam tentando salvar sua vida, elas têm essa jornada semelhante e temem o abandono. O que é atraente sobre Nyxly é como ela lidou com isso emocionalmente e o que ela vai fazer para buscar vingança ou vingança pelo que ela passou, e é muito diferente de como Supergirl teria lidado com isso.

São seus poderes de demônio da Quinta Dimensão o que a torna a maior inimiga que a Supergirl já enfrentou?

Sim, ela é poderosa porque é tão semelhante a Mxyzptlk que pode estalar os dedos e fazer o que quiser – conjurar qualquer coisa, mandar qualquer um embora. É esse poder universal e todo-poderoso que é a coisa mais assustadora sobre ela, especialmente quando está com raiva.

Andrea tem como objetivo cobrir não apenas a Supergirl, mas todas as Superamigos. Como isso afeta Kara?

Nesta temporada, você vai ver Kara lutar para realmente equilibrar seu alter ego [como repórter] e os superamigos e super-heróis de tudo isso. A pergunta “Você pode ter tudo isso?” está meio que sempre na vanguarda desse programa, mas dessa temporada em particular, especialmente porque Kara está tentando encontrar a si mesma e quem ela quer ser. Fazer malabarismos com Catco, especialmente quando eles estão focados nos Superamigos e tentando relatar seus acontecimentos, é difícil, e vai ser uma verdadeira luta por toda a temporada.

Supergirl vai ao ar às terças-feiras na CW.

 

Fonte: EW

Tradução e Adaptação: Melissa Benoist Brasil

ACESSE:

Agora que Superman & Lois encerrou a sua primeira temporada, a prima kryptoniana de Clark, Kara (Melissa Benoist) está voando de volta para a ação para concluir sua sexta e última temporada.

“Todo dia é uma montanha-russa”, Benoist admite, ao trazer Supergirl para perto de seu fim. “É bom, ruim, amargo e doce e todas as coisas.” Também faz uma eternidade desde que vimos nossa garota!

A série entrou em uma pausa em maio para acomodar atrasos relacionados a COVID, bem quando Kara estava sendo libertada de meses na prisão infernal da Zona Fantasma. “Esse [trauma] vai levar algum tempo para ser desfeito e curado”, previu Benoist“O que ela passou foi muito louco, então sim, acho que é talvez o pior momento que os fãs verão Kara.”

O lado bom, Benoist diz, é que Kara se reuniu com seu pai, Zor-El (Jason Behr), enquanto estava no cativeiro e que ele também foi salvo durante a missão de resgate liderada pela irmã humana de Kara, Alex (Chyler Leigh). Agora, cabe à filha ensinar ao pai como se encaixar na Terra. “Ele não se encaixa bem”, diz Benoist, com uma risada. “Jason é fantástico e essa é uma história adorável que podemos explorar.”

O drama da CW retorna para começar a dizer adeus em 24 de agosto.

É melhor eles aproveitarem o tempo, porque embora as coisas pareçam pacíficas agora em National City, Benoist sugere que “há uma grande ameaça no horizonte que está [conectada] com a Zona Fantasma”. E, ela acrescenta, “Eu nunca descartaria a possibilidade do retorno de Lex Luthor [Jon Cryer] …”.

Supergirl às terças-feiras na CW.

 

Fonte: TV Insider

Tradução e Adaptação: Melissa Benoist Brasil

ACESSE:

Kara Danvers não está em Kansas Nacional City mais.

Na estreia da sexta temporada de Supergirl, Kara (Melissa Benoist) sacrificou sua vida duas vezes. Primeiro, ela atraiu o super-poderoso Lex Luthor (Jon Cryer) para a Fortaleza e permitiu que ele a matasse para que os Super Amigos tivessem tempo de desfazer seu esquema de lavagem cerebral. Felizmente, Lena usou o traje anti-Kryptonita e a tecnologia da Fortaleza para reviver Kara, e o resto da equipe apareceu para o segundo round contra o egomaníaco. Infelizmente, isso também não saiu como planejado. Claro, Alex conseguiu deter Lex, mas não antes de pegar o projetor da Zona Fantasma e enviar Kara para a desolada prisão kryptoniana sem seus poderes ou meios de escapar. Caramba!

Abaixo, EW conversa com Benoist sobre a situação infeliz de Kara.

 

ENTERTAINMENT WEEKLY: A 5ª temporada deveria terminar com Kara sendo enviada para a Zona Fantasma, ou foi uma nova reviravolta?

Houve tantas dúvidas de como a 5ª temporada iria terminar e a 6ª temporada iria começar por causa da minha gravidez e minha licença maternidade, e por causa da pandemia. Eu sei que eles mudaram algumas coisas. Então, não me lembro, para ser honesta. [Risos] Parece que foi há muito tempo. De qualquer forma eu seria mandada para a Zona Fantasma, mas acho que não ficaria esse tempo todo, pela quantidade de episódios que estou lá.

Na estreia, Kara mencionou como era traumatizante estar presa na Zona Fantasma quando era mais jovem. Como ela está indo para lá agora?

Certo. Nós exploramos as vulnerabilidades dela antes na série, mas nunca com a profundidade que estamos nesta temporada. Acho que vai ser muito diferente para as pessoas verem. É um lado muito diferente de Kara que veremos na Zona Fantasma, e não é fácil. As coisas que ela está enfrentando e o trauma que ela suporta na Zona Fantasma não são algo de que ela se recuperará facilmente.

Kara está bem isolada. Como foi passar por esse enredo que a manteve separada do resto dos personagens com os quais você está acostumada a interagir, especialmente na temporada final?  

Foi difícil para mim porque estou tão acostumada a poder ver todos, e estamos muito acostumados a trabalhar juntos lado a lado todos os dias como um grupo e o elenco é muito unido. É a isso que estou acostumada na série, então também foi muito isolante para mim em termos de interpretar as cenas. E eu não estou sozinha. Existem alguns outros personagens na Zona Fantasma comigo, mas eram pessoas novas e muito fui eu sozinha. Então, sim, parte do que foi roteirizado definitivamente afetou como eu me senti atuando.

Falando em novos personagens, sabemos que Jason Behr foi escalado como um misterioso kryptoniano que ajuda Kara. O que você pode dizer sobre a dinâmica dela com esse estranho?

Direi que na Zona Fantasma, há personagens que realmente a ajudam e são grandes aliados, e há alguns que não são, obviamente, porque é um lugar muito perigoso cheio de criminosos e kryptonianos enviados para lá. Foi ótimo trabalhar com Jason, e eu acho que as pessoas vão adorar seu personagem e ficarão muito surpresas [com] quem ele está interpretando.

Nós só vimos o final da última vontade e o testamento de Kara que ela gravou. Descobrimos o que ela disse mais tarde? Se não o fizermos, você tem uma ideia do que ela pode ter dito em sua mente?

Há trechos que o público verá, mas acho que em minha mente e em meu coração, eu sei o que ela disse e posso preencher as lacunas para as coisas que não filmamos porque só temos pedaços e peças aqui que outros personagens podem ver de sua gravação. Sim, eu sei o que ela disse e sei o que teria sido importante para ela deixar como seu legado.

Supergirl vai ao ar às terças-feiras às 21h na CW.

 

Fonte: EW

Tradução e Adaptação: Melissa Benoist Brasil

ACESSE:

Melissa Benoist está muito satisfeita com o caminho de Supergirl em sua sexta e última temporada.

A despedida do drama da CW começa na terça-feira com uma estreia que coloca Kara (Benoist) e os Super Friends contra Leviathan e o narcisista profissional Lex Luthor (Jon Cryer), que fez lavagem cerebral em metade do mundo para amá-lo. Derrotar o supervilão ego-maníaco irá, no entanto, ter um grande custo para Kara e preparar o terreno para que ela enfrente sua mortalidade e os limites potenciais de seu poder.

Antes da estreia, a EW conversou com Benoist para discutir o que está por vir enquanto a série voa em direção ao seu final.

 

ENTERTAINMENT WEEKLY: Como você se sente sobre o final do programa? Você acha que este é o momento certo para dizer adeus a Kara?

Sim, acho que todos nós meio que chegamos a essa conclusão. Estamos muito orgulhosos de tudo o que conseguimos realizar nos últimos cinco, quase seis anos. Tem sido uma grande jornada: mudando a emissora, mudando as cidades em que filmamos e mudando as noites em que exibimos. Nós passamos por muito nessa série, e acho que criativamente todos nós fomos capazes de dar um passo atrás e dizer que estamos muito orgulhosos de tudo que fizemos e parecia o momento certo.

Você tem uma ideia de para onde está indo a história de Kara? Como você se sente sobre o final que está reservado?

Eles me falaram porque queriam saber se eu tinha alguma opinião sobre onde eu queria ver Kara no final da série. Eu tinha um pedido, e nem era algo que eles estavam pensando em fazer. E eles me lançaram no final, e é realmente adorável. É um ótimo final. Eu me sinto fantástica com isso.

Quando falamos para a matéria da capa, você me disse que abordou cada temporada da perspectiva da evolução de Kara. Como Kara está crescendo nesta temporada?

Quanto mais Kara amadurece, mais ela luta com seu poder e o que significa carregar os poderes que ela tem na Terra e sua identidade como alienígena ou humana, ou onde ela pertence. Essas são coisas que estamos realmente explorando este ano com ela. E o que te torna forte? O que faz você se sentir fortalecida? Essas são coisas que estamos olhando nesta temporada para todos os personagens. Mas com Kara especificamente, esta temporada vai ser mais uma auto-exploração, olhar no espelho e [contemplar] o que seu poder significa porque é quase ilimitado e a torna tão forte na Terra. Onde ela traça a linha? Como ela reconcilia isso com sua humanidade?

Onde estão as coisas com Kara e Lena nesta temporada?

Acho que tudo o que elas passaram na última temporada realmente solidificou seu vínculo e sua amizade, e o fato de serem capazes de curar mostra o quão profunda é essa amizade. Lex está de volta nesta temporada, então o perigo sempre presente de seu irmão psicótico é o suficiente para elas deixarem a água correr sob a ponte. Essa relação, eu acho, é uma das mais importantes da série. Katie [McGrath] e eu sempre abordamos isso realmente querendo explorar as amizades femininas e como as mulheres se relacionam e se apoiam. Isso definitivamente fará parte da temporada final.

Você sentiu uma sensação de alívio agora que você superou o quão angustiadas aquelas duas estavam na última temporada?

Sim, completamente! Eu amo trabalhar com Katie McGrath e qualquer desculpa para fazer qualquer cena com ela está bom para mim, mas sim, eu acho que nós duas estamos um pouco aliviadas por não haver mais tensão.

O relacionamento de Kara e Alex [Chyler Leigh] é outro aspecto fundamental da série. O que está reservado para o relacionamento delas na temporada final?

Acho que a irmandade é o alicerce da série. Não faltam momentos de Kara e Alex este ano, é claro. Eu acho que Alex tem sua própria jornada de entrar em seu próprio eu, percebendo todo o seu potencial e como é viver sua melhor vida. Há uma dupla em que podemos ver as jovens Kara e Alex novamente. Acho que esses tipos de episódios são alguns dos nossos mais fortes quando voltamos para Midvale. Você sabe, apenas dar uma olhada e ver o que torna a ligação delas tão forte, eu acho, é muito divertido para os fãs verem, muito identificável também.

Chyler fez sua estreia na direção nesta temporada. Como foi tê-la como diretora?

Eu não pude estar lá! Eu estava de licença maternidade, por isso tinha ido embora, mas ouvi de todos que ela arrasou e foi fantástico. Eu ouvi dela o quanto ela amou e que ela realmente encontrou uma paixão em dirigir. Ela está trabalhando há muito tempo e é uma profissional. Esta não é de forma alguma sua primeira série, então ela sabe como um set funciona e como tratar os atores e a equipe, então não tenho dúvidas de que ela foi incrível.

Dada a sua licença maternidade, quanto de você veremos na primeira metade da temporada?

Eu voltei da licença-maternidade em janeiro e tinha um pouco de atualização para fazer. Então, não estou ausente da primeira parte da temporada, mas estou em um lugar diferente. A Supergirl está bastante isolada.

Qual foi a parte mais desafiadora da última temporada?

A parte mais desafiadora, para ser honesta, tem sido mais logística. É o fato de que ainda estamos na pandemia. Claro, todos são muito gratos por ter empregos e estamos gratos por estarmos juntos para podermos nos ver, mas existe aquela barreira com as máscaras e quantos protocolos temos para a segurança de todos. Esse tem sido o maior desafio porque todo mundo só quer se abraçar, e estamos chegando perto do fim e é uma espécie de chatice não podermos simplesmente dar abraços e beijos e tem isso adicionado peso da pandemia ainda está acontecendo.

Supergirl retorna terça-feira na The CW.

 

Fonte: Entertainment Weekly

Tradução e Adaptação: Melissa Benoist Brasil

Layout criado e desenvolvido por Lannie.D - Hosted by Free Fansite Hosting @ 2020 - Melissa Benoist Brasil